Biomimética: uma revolução tecnológica

Reações 
Tudo o que vemos na natureza, são processos aperfeiçoados e desenvolvidos por milhões de anos. Nada neste mundo tem um aproveitamento energético melhor do que a fotossíntese, todos os processos que vêm da natureza não geram resíduos, todas as matérias sempre são reutilizadas indefinidamente. Então porque não copiá-la? “Na natureza não existem desperdícios e resíduos, e é isso o que devemos copiar”, ensina a bióloga e coordenadora do Núcleo e Agência Ambiental, Waverli Neuberger.

Biomimética é uma nova área do conhecimento da tecnologia que tem a natureza como exemplo para o desenvolvimento de novas tecnologias. Biomimética significa copiar a natureza no que ela tem de melhor, é a arte de desenvolver tecnologias humanas sustentáveis inspiradas pela natureza. É a Biologia inspirando a Engenharia.

Veja alguns dos últimos exemplos de tecnologias que se tornaram possíveis graças à Biomimética:


1. Velcro
O mais famoso exemplo de Biomimética é o Velcro (Velcro brand fasteners). Em 1941, o engenheiro Suíço George de Mestral, inspirou-se após analisar atentamente as sementes de Arctium que grudavam constantemente em sua roupa e no pêlo de seu cão durante sua caminhadas diárias pelos Alpes. Georges examinou o material através de um microscópio e distinguiu diversos filamentos entrelaçados terminando em pequenos ganchos, causando a potente aderência dos carrapichos nos tecidos.

2. Plástico Auto-Curativo
Considere o poder do corpo para curar-se de arranhões e cortes. Agora imagine o mesmo tipo de processo de cura, só que em um material plástico ultra-leve que pode ser usado para produzir coisas como a fuselagem de aviões. Os novos materiais a ser desenvolvidos são chamados de plásticos de auto-cura. Eles são feitos de fibras ocas preenchidas com resina epóxi, que é liberado se as fibras sofrem graves tensões e rachaduras. Isso cria um 'pedrado' quase tão forte quanto o material original. Esses materiais de auto-cura podem ser usados para fazer aviões, carros e até mesmo naves espaciais que serão mais leves, mais eficientes e mais seguras.

3. Fotossíntese Artificial
Todos nós aprendemos sobre a fotossíntese na escola, a maneira como as plantas utilizam a clorofila para converter a luz solar, água e gás carbônico em carboidratos e oxigênio. A busca de reproduzir este processo é chamado de fotossíntese artificial, e é concebida como um meio de utilizar a luz solar para dividir a água em hidrogênio e oxigênio para uso como um combustível limpo para veículos, bem como uma maneira de usar o excesso de Gás Carbônico na atmosfera. O processo poderia tornar as células de combustível de hidrogênio uma forma mais eficiente, auto-recarregável e menos dispendiosa de criar e armazenar a energia em sistemas domésticos e industriais.

4. Pele de Tubarão
Uma das melhores maneiras de reduzir a dependência dos combustíveis fósseis é conseguir um uso mais eficiente da energia que consumimos. Inspirado pela habilidade do tubarão em reduzir o arrasto dentro dágua, os pesquisadores estão desenvolvendo tintas para cascos de navios, submarinos, aviões e até mesmo roupas de banho para os seres humanos. Baseado na forma como o tubarão varia a textura da pele sobre seu corpo, o maiô Fastskin Speedo FSII fez sua primeira aparição nas Olimpíadas de Pequim e pode ter ajudado o nadador dos EUA Michael Phelps a ganhar suas oito medalhas de ouro na competição, como também o resto da equipe.

Junto com a força do tema sustentabilidade, outros subtemas relacionados ao meio ambiente também ganham espaço, e aos poucos, cursos com ênfase em assuntos específicos como este em pauta, vêm surgindo com mais freqüência ao redor do mundo.

Confira a lista das Universidades ao redor do mundo com cursos que dão ênfase à Biomimética.

Fontes:
Wikipedia: Biomimicry
Brainz: 15 coolest cases of Biomimicry
Ver Mais: Janine Benyus

Um comentário:

Cuspa seus pensamentos aqui.